Seletor idioma

Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Acervo Documental
Início do conteúdo da página

Acervo Documental

Publicado: Segunda, 14 de Janeiro de 2019, 10h44 | Última atualização em Sexta, 26 de Julho de 2019, 16h13 | Acessos: 515
Fundo J. G. Araújo

A empresa fundada por Joaquim Gonçalves Araújo, sediada em Manaus e em atividade de 1877 a 1989, trabalhou principalmente com comércio, indústria e transporte fluvial, devido a crise da economia da borracha diversificou suas atividades, possibilitando sua existência centenária. Atuou em toda Amazônia e fez intercâmbio comercial com o estado do Pará e países como EUA, Portugal, Inglaterra e França.

No final dos anos 80 J. G. Araújo começou a diminuir sua atuação, fechando várias filiais, que culminou no encerramento de suas atividades empresariais. Ao tomar conhecimento deste fato, o Departamento de História (DH) solicitou ao reitor sua interferência para efetivar a transferência do acervo, anteriormente acordada verbalmente entre o diretor da firma com a coordenadora de pesquisa do DH. A doação do acervo pelo neto do fundador se deu em novembro de 1989, que inicialmente ficaria sob a guarda do departamento.

Foi identificado 4 fases vivenciadas pela empresa: 1877 a 1896 - Araújo Rosas e Irmão, 1892 a 1904 - Araújo Rosas e CIA., 1904 a 1925 - J. G. Araújo, 1925 a 1989 - J. G. Araújo e Cia Ltda. O acervo apresenta uma grande diversidade documental como: originais de cartas manuscritas de aviados da empresa, coleção de Letras de Câmbio, Guias de Embarque, Recibos de pagamentos de impostos sobre indústrias e profissões, Recibos de pagamento de Imposto Predial, Diário de Navegação, Escritura de Seringais, Recibos de pagamento de Imposto Territorial, Contratos de Trabalho.

 

Datas(s)

1877-1992 (produção)

Nível de descrição

Fundo (1)

Dimensão e suporte

Textual 476,1m; Bibliográfico 0,75m

Condições de acesso

Com restrições; necessidade de organização; estado de conservação




 

Fundo Márcio Souza

Márcio Gonçalvez Bentes de Souza, escritor e dramaturgo, natural de Manaus, nasceu em 4 de Março de 1946, atua em diversas áreas como jornalismo, dramaturgia, editoração e cinema, Começou escrevendo críticas de cinema aos 14 anos, produziu romances como “Galvez, Imperador do Acre”, “Mad Maria” e “A Ordem do Dia”, além de ensaios e peças de teatro. Eleito membro titular da Academia Amazonense de Letras em Setembro de 2004.

Em Junho de 1993, o Museu Amazônico recebeu por meio um convênio entre a Universidade com Governo do Estado do Amazonas e com o Márcio Souza, o acervo do arquivo pessoal do escritor, contendo manuscritos, scripts de peças teatrais e filmes, recortes de jornais e traduções datilografadas.

Parte do acervo composta por condecorações e fotografias de peças de teatro montadas pelo grupo do Teatro Experimental do Serviço Social do Comércio – TESC/SESC, dirigidas pelo escritor Márcio Souza, nas décadas de 1960-80 está sob a guarda da Divisão Museologia do Museu Amazônico.

Datas(s)

[1964?]-[1997?] (produção)

Nível de descrição

Fundo (1)

Dimensão e suporte

Textual 2,21 m; Sonoro 3 itens

Condições de acesso

Com restrições; necessidade de organização; necessidade de equipamento

 

Fundo Márcio Souza
Caderno de anotações Mad Maria de 1978.
Trecho do caderno de anotações Mad Maria de 1978.

 

Fundo Comissão de Documentação e Estudos da Amazônia - CEDEAM

A Comissão de Documentação e Estudos da Amazônia - CEDEAM funcionou como órgão de pesquisa da Universidade de 1979 a 1987, com o objetivo de contribuir para recuperar as fontes primárias da história do amazonas através de um trabalho de levantamento e microfilmagem em arquivos e centros de documentação no brasil e no exterior.

Após a extinção da CEDEAM, o acervo foi incorporado à Biblioteca Central da Universidade do Amazonas, como material especial. A transferência deste acervo em conjunto com o Fundo J. G. Araújo, foram fatores decisivos para a implantação do Museu Amazônico.

O Fundo da CEDEAM contêm a documentação administrativa da comissão como: correspondências, circulares, ofícios, planos de execução de orçamento, livro de atas, publicações, manuscritos e recortes de jornais.

Datas(s)

1979-1987 (produção)

Nível de descrição

Fundo (1)

Dimensão e suporte

Textual 1,26 m

Condições de acesso

Com restrições; necessidade de organização

Fundo Amazônia Colonial-Imperial

Conjunto elaborado pelo CEDEAM, está separado de acordo com a localização do original dos documentos, Arquivo Público do Pará - APP, Arquivo Histórico Ultramarino da Capitania do Mato Grosso - AHU-MT, Arquivo Histórico Ultramarino Maranhão - AHU-MA, Arquivo Ultramarino Rio Negro - AHU-RN, Biblioteca Municipal do Porto - BMP.

Os documentos da Amazônia Colonial, versam sobre assuntos como: questão indígena, demarcação de terras, questão de limites, a presença missionária na Amazônia em cópias que se apresentam encadernadas, em caixas e microfilmadas. Do período Imperial contêm relatórios dos presidentes da Província do Amazonas, regulamentos da Província, leis da Província e do Império.

Datas(s)

1979-1987 (acumulação)

[1662?]-[1891?] (assunto)

Nível de descrição

Fundo (1)

Dimensão e suporte

Textual 22,66 m

Condições de acesso

Com restrições; necessidade de organização

 
Relação histórica e divisão política do estado do Maranhão.

Fundo Amazônia República

Acervo doado pelo Instituto Geográfico e Histórico do Amazonas – IGHA ao museu, foi recebido inicialmente pela Biblioteca Setorial do Museu Amazônico e posteriormente transferido para a Divisão de Pesquisa e Documentação Histórica por conter fontes primárias para pesquisa.

Com registros do início da República até 1990, na esfera do Governo Municipal de Manaus o conjunto é composto por leis, mensagens, anais, relatórios de tesouro, prestação de contas e balanço geral. No âmbito do Governo Estadual do Amazonas temos julgados e decisões do Supremo Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas, leis, decretos, regulamentos, relatórios e mensagens.

Datas(s)

1852-1993 (produção)

Nível de descrição

Fundo (1)

Dimensão e suporte

Bibliográfico 7,81m

Condições de acesso

Com restrições; necessidade de organização

Fundo Faculdade de Direito do Amazonas

A Faculdade de Direito do Amazonas está presente desde a gênese da Universidade Federal do Amazonas, com o nome de Faculdade Ciências Jurídicas e Sociais integrava a Universidade de Manáos. Em 1917, a Faculdade Ciências Jurídicas e Sociais, se desligou da Universidade, ficando sob jurisdição da União e somente sendo incorporada novamente com a criação da Fundação Universidade do Amazonas em 1962.

O Acervo datado de 1909 a 1974, foi recolhido pelo Museu Amazônico em ocasião da mudança da Faculdade de Direito do Amazonas para o Campus Universitário em 2008. Composto principalmente de encadernados, contém folhas de pagamentos, ofícios, atas, provas aplicadas, registros de matrículas, entre outros documentos que foram registrados pela administração da faculdade no período.

Datas(s)

1909-[1974?] (produção)

Nível de descrição

Fundo (1)

Dimensão e suporte

Textual 16,20 m

Condições de acesso

Necessidade de agendamento

Encadernados do fundo da Faculdade de Direito.
Solicitação de envio de documentos à Faculdade de Direito.
Fundo Thiago de Mello

Poeta e tradutor amazonense, Amadeu Thiago de Mello, nasceu em 30 de Março de 1926. Após o golpe militar de 1964, sua obra ganha um conteúdo político e neste contexto produz seu poema mais conhecido “Os Estatutos do Homem”. Perseguido pela ditadura deixa o país, encontra Pablo Neruda e se torna reconhecido por sua luta por direitos humanos com seu livro “Poesia Comprometida com a Minha e a Tua Vida”.

Acervo foi doado à UFAM pela Fundação Djalma Batista, por meio do Programa Mais Cultura nas Universidades, do Ministério da Cultura, em um acordo celebrado em 2009. Na DPHD encontra-se documentos resultantes das relações pessoais do autor, como cartas e originais de sua obra. Na Biblioteca Setorial do Museu Amazônico encontra-se parte do acervo bibliográfico reunido pelo poeta e na Divisão de Museologia uma coleção formada por cartazes, certificados e diplomas, condecorações, objetos etnográficos, fotografias e objetos fúnebres que pertenciam ao autor.

Datas(s)

[1973?]-[2007?] (produção)

[1896?]-[2007?] (assunto)

Nível de descrição

Fundo (1)

Dimensão e suporte

Textual 5,69 m

Condições de acesso

Com restrições; necessidade de organização; necessidade de agendamento

Viagem para o Chile como adido cultural do Brasil (Foto: Tiago de Melo com Pablo Neruda).
Fundo Serviço de Proteção do Índio - SPI

Conjunto de 21 microfilmes sobre a atuação do Serviço de Proteção do Índio - SPI no Amazonas, adquiridos pelo Núcleo de Estudos da Amazônia Indígena - NEAI e sob a guarda do Museu Amazônico desde 2009.

Datas(s)

1977-1995 (produção)

1910-[1973?] (assunto)

Nível de descrição

Fundo (1)

Dimensão e suporte

Micrográfico 21 itens

Condições de acesso

Documentos acessíveis apenas por microfilme

Fundo Serviço de Proteção ao Índio.
Reportagem produzida pelo SPI em 1964. 
Ofício de comunicação de falecimento. 
Fundo Revisitando a Amazônia de Carlos Chagas 

Cópias em fita cassetes das entrevistas colhidas em 1995 para a segunda fase do projeto “Revisitando a Amazônia de Carlos Chagas: da borracha à biodiversidade” da Fiocruz em conjunto com várias instituições da Amazônia, incluindo a UFAM. O Projeto fez uma análise comparativa das condições de vida e saúde da população encontradas por Carlos Chagas entre 1912 e 1913 com a situação após 80 anos.

Datas(s)

08/08/1995-07/09/1995 (produção)

Nível de descrição

Fundo (1)

Dimensão e suporte

Sonoro 25 itens

Condições de acesso

Com restrições; necessidade de organização

Fitas Cassetes com entrevistas.
Fim do conteúdo da página